web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Aluna encontrou lagarta viva em refeição servida numa escola

Share on Pinterest

Vídeo foi publicado nas redes sociais. Directora da Escola Básica André Soares aponta responsabilidades à empresa responsável pelo serviço da comida, a Uniself, contratada pelo Ministério da Educação.

Uma aluna da Escola Básica André Soares, em Braga, publicou um vídeo nas redes sociais onde filma o que aparenta ser uma lagarta na refeição servida na cantina deste estabelecimento de ensino. Em esclarecimento à associação de pais, a directora da escola diz que a empresa responsável pelo serviço da comida, a Uniself, contratada pelo Ministério da Educação, “deve rever os seus procedimentos”.

“Só quero deixar aqui uma das coisas que se encontra na cantina da escola André Soares em Braga, só gostava que isto chegasse a imensas pessoas para verem o que ‘nós’ comemos na cantina da escola”, escreveu a aluna na publicação no Facebook, que está a ser amplamente partilhada e comentada.

 

 

Contactada pelo PÚBLICO, a escola informou que a directora não estava disponível para prestar declarações. No entanto, esta situação levou a um pedido de esclarecimentos da Associação de Pais e de Encarregados de Educação da Escola André Soares dirigido à directora Graça Moura.

A associação refere que este incidente terá ocorrido no dia 26 de Outubro, questionando se a escola “teve conhecimento desta lamentável situação”; “qual a acção da escola perante este problema de higiene/qualidade das refeições servidas” e se “a empresa Uniself e entidades responsáveis foram alertadas”.

Graça Soares enviou uma resposta, publicada no Facebook da associação de pais, onde diz que “estas situações não podem acontecer”. A directora admite que a escola “tem responsabilidade no que diz respeito à garantia de cumprimento das regras de higiene e à denúncia de situações irregulares e que colocam em causa a saúde e bem-estar dos seus alunos”.

A responsável por aquele estabelecimento de ensino explica ainda os procedimentos de vigilância que são garantidos por professores e funcionários, relativamente ao comportamento nas filas de espera ou às práticas de higiene dos alunos à entrada da cantina.

“Periodicamente, o Programa de Salubridade Alimentar nas Cantinas Escolares, da ARS Norte, do SNS e do ACES Braga, inspeccionam as condições de funcionamento e emitem relatório assinado pelo Técnico de Saúde Ambiental”, esclarece ainda.

 

Fonte: Publico

Share on Pinterest

08/11/2017
Compartilhe no Facebook