web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Bayer compra Monsanto por quase 59 mil milhões no maior negócio do ano

Share on Pinterest

A empresa alemã chegou a acordo para comprar a Monsanto por mais de 58 mil milhões de euros. Esta é a maior aquisição do ano e coloca fim a um longo período de negociações entre as companhias.

A maior aquisição do ano. É assim que o Financial Times classificava a compra da Monsanto pela Bayer, antes da notícia ser oficial. Tal como indicavam fontes de vários órgãos de comunicação, a alemã Bayer aceitou pagar 128 dólares por cada acção da Monsanto. No total, a empresa europeia vai pagar 66 mil milhões de dólares – 58,7 mil milhões de euros no câmbio actual – de acordo com o comunicado da empresa germânica.

O valor pago por acção representa um prémio de 21% face à cotação de fecho da Monsanto na sessão desta terça-feira. No âmbito deste negócio, a Bayer está a oferecer uma “antitrust break fee” de cerca de dois mil milhões de dólares, caso a operação seja rejeitada por autoridades reguladoras. A junção das duas empresas pode representar mais de 30% do negócio da produção mundial de culturas agrícolas, o que pode levantar receios sobre se o negócio vai ser autorizado.

A história da aquisição da Monsanto pela Bayer começou há vários meses e conheceu avanços e recuos. Em Maio, a Bayer lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a Monsanto, com o objectivo de criar a maior fabricante mundial de produtos químicos para a agricultura e sementes geneticamente modificadas.

Oferecia 62 mil milhões de dólares. Oferta que não agradou à Monsanto. Mas não apenas dessa vez. Na semana passada, foi revelado que a empresa alemã voltava a “subir a parada” – a Bayer ofereceu 127,50 dólares por acção para concretizar a compra da empresa agro-química norte-americana, o que avalia a ofertam em 56 mil milhões de dólares.

Sendo que esta manhã, a Bayer admitia rever a oferta para 129 dólares por cada acção, avançava a Bloomberg.
Mas qual é o interesse da Bayer na Monsanto? A Bloomberg escreve que esta operação permitir à empresa alemã explorar a crescente procura dos agricultores por meios para aumentaram a sua produtividade no sentido de alimentar os estimados 10 mil milhões de pessoas em 2050. Com esta operação, a Bayer tem acesso a cerca de duas mil variedades de sementes. Sendo que, a própria Bayer tem o seu próprio portfólio.

Além disso, a empresa alemã, segundo a Reuters, pretende criar uma espécie de balcão único para sementes, produtos químicos para as colheitas e serviços informáticos para ajudar agricultores. Uma ideia, escreve a agência, que não é nova uma vez que era o conceito que estava a ser pensado para a operação que surgisse fruto da aquisição da Syngenta pela Monsanto. Uma operação que não se concretizou. Posteriormente, a Syngenta começou a pairar no radar da chinesa ChemChina.
A Monsanto, fundada em 1901, foi pioneira nas últimas duas décadas na comercialização de organismos geneticamente modificados. No passado, esta empresa centenária produziu também químicos industriais e medicamentos.

A Bayer foi fundada em 1896 e é muito conhecida por ser a produtora da aspirina.

 

Fonte: Jornal de Negócios

Share on Pinterest

14/09/2016
Compartilhe no Facebook