web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Eleitos para a Junta dão o ordenado todo aos pobres

Share on Pinterest

Os 15 elementos da Junta e Assembleia de Freguesia de Ponte doam, todos os meses, o salário aos mais desfavorecidos daquela localidade do concelho de Guimarães.

A ajuda, que começou no tempo em que o presidente da Junta era eleito pela coligação PSD/CDS, já superou a fasquia dos 50 mil euros. Ao todo, vai para os pobres o salário dos cinco elementos do Executivo e as senhas de presença dos 10 deputados do PS na Assembleia de Freguesia.

Sérgio Castro Rocha, presidente da Junta, é o grande responsável pela medida. Em 2013, quando avançou para a constituição das listas do PSD/CDS em Ponte, estabeleceu como condição dos futuros eleitos a doação de todas as verbas de salários e senhas de presença para os pobres da freguesia. Naquele mandato, doaram 37 479 euros.

 

SÓ MUDOU O PARTIDO

Em 2017, Sérgio Rocha candidatou-se pelo PS. Mudou o partido mas a medida altruísta manteve-se e o povo reconheceu-lhe o mérito, renovando a confiança para o mandato à frente da Junta, com uns expressivos 73%, a maior votação registada pelo PS numa Junta de Freguesia de Guimarães. No atual mandato, os 15 elementos já reuniram quase 12 mil euros.

“Temos cerca de 100 voluntários que fazem parte da equipa da Junta de Freguesia. Nós, do Executivo, também somos voluntários, por isso não fazia sentido uns receberem e outros não”, explica Sérgio Castro Rocha, presidente da Junta e advogado que teve a ideia de doar o salário quando acompanhava cobranças coercivas a pessoas com dificuldades.

O valor dos salários é integrado no projeto da “Junta Amiga”, que já ajudou 246 famílias desde 2014. Na prática, o projeto ajuda a financiar as despesas pessoais de famílias comprovadamente carenciadas ou que, por vicissitudes, se viram numa dificuldade temporária.

Maria (nome fictício) conta sob anonimato como ficou numa situação de desespero: “O meu marido ficou sem receber, o meu salário não dava para nada e tive de recorrer à Junta”. Dos 60 euros da conta de eletricidade, a Junta pagou 50 euros, numa ajuda recente que a cidadã de Ponte ainda recebe, mas quer deixar de ter: “Ajudou-me muito porque estou a equilibrar as minhas contas e a pôr tudo direitinho”. O projeto “Junta Amiga” funciona na loja social da freguesia, onde a Junta também recolhe roupa, calçado, comida, brinquedos e livros para doar.

Fonte: JN

Share on Pinterest

28/10/2018
Compartilhe no Facebook