web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Empresa sob suspeita do surto de legionella recebeu dois milhões e vai receber mais ainda

Such-Veolia e a empresa-mãe, a Veolia Portugal, prestam serviços a entidades do Estado, onde se incluem vários hospitais.

A empresa Such-Veolia, suspeita de ter responsabilidades no surto de legionella no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, celebrou entre 2009 e este ano 20 contratos com organismos públicos no valor de 2,1 milhões de euros.

O surto de legionella que contaminou 54 pessoas, causando cinco vítimas mortais, resultou de alegadas falhas na manutenção das torres de refrigeração do hospital.

Entre os clientes da empresa (que já teve o nome de Such- -Dalkia) figuram, além do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO), ao qual pertence o Hospital São Francisco Xavier, o Hospital Garcia de Orta, em Almada, a Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, e centros hospitalares do Algarve e do Alentejo.

Os dados são do portal dos contratos públicos do Governo, na internet, segundo o qual a Veolia Portugal SA, empresa-mãe da Such-Veolia, tem desde 28 de outubro de 2008 até 15 de novembro de 2017, 114 contratos com entidades públicas que superam os 4, 1 milhões.

A Such-Veolia é parceira do Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH), que é uma empresa de caráter associativo do Estado.

Segundo apurou o CM, a Such-Veolia é a principal suspeita pelo surto de legionella no âmbito da investigação. O Ministério Público poderá avançar para uma acusação de homicídio por negligência. A empresa nega quaisquer responsabilidades e solicitou ao Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ) uma fiscalização ao hospital.

Fonte: CM


19/11/2017
Compartilhe no Facebook