web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Governo admite bloquear redes de telemóveis nas estradas

E se a solução para os acidentes nas estradas passar por simplesmente reduzir ou mesmo inibir o sinal das redes móveis? O secretário de Estado da Proteção Civil admite que é uma das hipóteses equacionadas para o combate à sinistralidade

O secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, admitiu hoje à Lusa estar a estudar com as operadoras de telecomunicações o uso de aplicações que diminuam ou inibam o sinal emitido pelas redes móveis junto das estradas. Caso esta opção seja adotada, as chamadas para pessoas que se encontram a guiar passam a desencadear respostas automáticas que informam da impossibilidade de um condutor para atender o telefonema.

Na sequência da apresentação de um estudo do Automóvel Clube de Portugal sobre a condução dos portugueses, José Artur Neves reiterou que o telemóvel é hoje uma das principais causas de acidentes. O governante recordou ainda que os denominados “kits mãos livres”, apesar de libertarem os membros, não chegam para resolver as distrações causadas pelos telemóveis.

A limitação das redes móveis é apenas uma das opções que se encontram em estudo. O governo também está a ponderar seguir os exemplos de Espanha e França e avançar com o uso de drones e helicópteros que ajudam a controlar a velocidade nas estradas.

José Artur Neves fez ainda saber da possibilidade de alargamento da rede de radares de controlo de velocidade e a georreferenciação dos locais mais problemáticos em termos de sinistralidade.

O secretário de Estado anunciou ainda que o combate à sinistralidade nas estradas (mais 64 mortos em 2017 que em 2016) deverá passar igualmente por uma medida menos tecnológica: o aumento do número de troços de estrada que têm os 30 Km/h como limite máximo de velocidade.

Fonte: Exame Informática


27/01/2018
Compartilhe no Facebook