web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Há dez anos que cada português anda a dar 15 euros por mês para salvar bancos


Cinco. É este o número de bancos que o Estado socorreu de 2008 a 2018.

Quantos impostos já foram gastos? Muitos, quiçá demasiados.

Como é que se recuperaram os impostos?

O que aconteceu aos banqueiros acusados?

A jornalista do Expresso Isabel Vicente faz uma análise:

Entre 2008 e 2018 a banca já levou do “cofre do povo” 18 mil milhões de euros, 9% do PIB.

Nós somos o terceiro país da zona euro que maior esforço orçamental fez para ajudar os bancos.

Tudo começou com o BPN, que embora vendido o estado ficou com tudo o que era tóxico. Só o BPN já custou mais de 5 mil milhóes de euros.

Depois veio o BPP, onde metade da fatura ainda está por pagar. O total é de 450 mil euros.

O BES era “o banco de todos os regimes” e em 2014 deu-se a crise nesse banco. Começou por custar à cabeça 4.9 mil milhões de euros. O banco foi vendido em 2017 e agora temos o Novo Banco. Mas continuamos a pagar, porque estamos obrigados a injetar até mais 3.9 mil milhões de euros.

Um ano depois do BES foi a vez do Banir. Aconteceu o habitualmente: vendido, resolvido, ativos mais para o Estado. Contas feitas, precisou de 2.2 milhões de euros.

Em 2017 foi o próprio banco do Estado, a CGD, a precisar de 4 mil milhões de euros de ajuda pública. Dispensou trabalhadores, está em reestruturação, e tem aumentado as comissões das suas contas. A única boa notícia aqui é que já está a dar lucros. Haja um banco…

O vídeo, que podes e deves ver, termina dizendo que “enquanto a justiça vai fazendo o seu caminho, os contribuintes vão continuar a ser chamados para pagar a fatura”.

Toda esta análise, da responsabilidade do Expresso utilizando como fonte a Euronext, está disponível no vídeo indicado em cima.

Eis a história dos bancos resgatados nos últimos dez anos. Sentes-te envergonhado?


03/12/2019
Compartilhe no Facebook