web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Homem rega namorada de 19 anos com diluente e gasolina e pega-lhe fogo


A namorada foi transportada para hospital São Francisco Xavier. O homem de 33 anos foi detido pela PSP por ter regado a namorada 19 anos com diluente e gasolina.

A ocorrência foi reportada e acudida pelos Bombeiros Voluntários de Agualva Cacém. O facto de ter regado a namorada com gasolina fez com que esta tenha queimaduras no corpo, incluindo na cara.

“É suspeito de ter deitado sobre a sua namorada, de 19 anos de idade, enquanto a mesma dormia, um líquido inflamável e ateado fogo de seguida, tendo provocado lesões na face e mãos, afetando gravemente as vias aéreas, pelo que foi a mesma transportada para o Hospital São francisco Xavier, em Lisboa”, confirma um comunicado do Comando Metropolitano de Lisboa.

“Após diligências investigatórias imediatas, desencadeadas num quadro de absoluta urgência face aos perigos que emanavam do cenário retratado, foi possível intercetar o suspeito nas imediações do local de ocorrência, encontrando-se deitado no solo a tentar passar despercebido aos polícias da PSP. De realçar que o mesmo não prestou qualquer assistência à vítima tendo abandonado o local sem contactar qualquer meio de socorro”, acrescenta a nota da PSP citada pelo DN.

Esta é mais uma das consequências dos episódios de violência doméstica. O casal estava junto há cerca de cinco anos e a vítima chegou a estar institucionalizada. Antes desta situação ocorrer a vítima já tinha tido dois incidentes reportados relacionados com violência doméstica.

“É urgente o reforço da prevenção e do apoio às vítimas de crimes violentos, em especial a violência doméstica – essa guerra silenciosa – que figura em primeiro plano nos números dos crimes contra a vida e que afeta maioritariamente mulheres e crianças”, afirmou recentemente a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, sublinhando a importância desta resposta ser articulada entre o Estado e as organizações não-governamentais de apoio às vítimas.


01/03/2020
Compartilhe no Facebook