web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Mostras vídeos aos teus filhos no telemóvel ou tablet? Não faças isso!


Um novo estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) mostra como podemos e devemos evitar “contagiar” os miúdos com os ecrãs de smartphone e tablet nos primeiros anos de vida.

Acalmar uma birra, numa hora de refeição ou simplesmente para os ver felizes. É por estas e muitas outras razões que os miúdos ficam agarrados aos ecrãs. Mas isso é algo que não deve ser feito.

Este hábito pode influenciar negativamente o desempenho físico e cognitivo da criança. E quanto mais jovem a criança mais a pode afetar. O estudo, que pode ser consultado aqui, da Organização Mundial da Saúde indica isso mesmo: e recomenda atividades físicas de qualidade em substituição do ecrã digital.

Eis as principais recomendações, obtidas através do site Contas Connosco:

Bebés com menos de 1 ano: Não devem ver vídeos em qualquer tipo de ecrã, incluindo televisão, devem ser lidas histórias em vez disso. Devem passar o máximo de tempo a brincar com jogos interativos e no chão. Para aqueles que ainda não andam ou gatinham devem ser colocados várias vezes ao dia de barriga para baixo durante 30 minutos.  Em relação a saídas de casa, não devem estar mais de uma hora presos num carrinho de bebé, cadeiras, etc.

Crianças entre 1 e 2 anos de idade: Até aos 24 meses, recomenda-se que as crianças fiquem longe de qualquer ecrã. Após os dois anos, podem estar até uma hora por dia. Devem ter pelo menos três horas de atividade física, mas podem ser simples brincadeiras ou jogos. Tal como nas indicações para menos de um ano, não devem ficar mais de uma hora seguida presos nem sentados muito tempo.

Crianças entre 3 e 4 anos de idade: Embora se tente evitar, desenhos animados e jogos de vídeo já não são tão proibidos. Devem ter três horas de atividade física por dia, uma delas mais intensa. Experimenta fazer uma corrida, brincar à apanhada, etc. Não devem estar parados mais de uma hora e o tempo de sono não deve ser inferior a 10 horas por dia.

 

Neste estudo, a ONS avisa ainda que o cumprimento destas rotinas acima indicadas pode prevenir problemas nas crianças como a obesidade infantil. Além disso também contribui para formatar o tipo e estilo de vida que as crianças vão ter enquanto adultos.

Já diz o velho ditado poupar… é de pequenino que se torce o pepino!


07/07/2019
Compartilhe no Facebook