web analytics

tuga.press

As principais notícias do dia estão aqui.

Novo comandante da ANPC obteve licenciatura de forma irregular

António Paixão licenciou-se na Universidade Lusófona com 17 equivalências. Antecessor demitiu-se por polémicas com o seu curso.

António Paixão, o novo comandante da Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC), conseguiu uma licenciatura através de equivalências a 17 disciplinas. Paixão é licenciado em Estudos de Segurança pela Universidade Lusófona desde 2014.

Segundo o jornal Sol, os cursos e formações obtidas pelo comandante dentro da GNR, bem como a experiência profissional, valeram-lhe várias unidades curriculares. No entanto, o processo de António Paixão contém algumas irregularidades. A Inspecção-Geral de Educação e Ciência (IGEC) já fez saber que vai analisar o caso.

Entre as irregularidades, detectou-se que um formulário foi preenchido pelo aluno, apesar de ser obrigatório que o fosse pela Comissão Específica. Além disso, conseguiu creditação nas disciplinas de Inglês I e II, apesar de não as ter frequentado no IV Curso de Formação de Oficiais da Guarda Nacional Republicana (1987/88). No diploma deste curso, não existem disciplinas com esse nome, apenas uma de Inglês. E em vez de ter cumprido as 60 horas necessárias, Paixão só frequentou 57.

Ao todo, António Paixão acumulou 55 créditos em unidades curriculares obrigatórias e 30 em opcionais.

Questionada, a Universidade Lusófona reconheceu os “equívocos” no processo de Rui Paixão, indicando ao jornal Sol que o “aluno, à data do pedido de creditação de Competências Profissionais, era Tenente Coronel de Infantaria da Guarda Nacional Republicana e contava no seu currículo com mais de 3500 horas de formação em domínios relevantes para a área científica da Segurança, e naturalmente pertinentes na perspectiva da creditação de unidades curriculares da Licenciatura em Estudos de Segurança”.

António Paixão disse ter sabido pelo Sol das irregularidades, “um erro de forma corrigido entretanto”. O actual comandante da ANPC terminou o curso com uma média de 17 valores.

O seu antecessor, Rui Esteves, demitiu-se por suspeitas em torno da licenciatura.


18/12/2017
Compartilhe no Facebook