web analytics
Compartilhe no Facebook

Se não houvesse apoios sociais, 43% da população era pobre

Infelizmente, vivemos numa altura em que muitos de nós se queixam que somos pobres. E sem os apoios sociais, se calhar seríamos muito mais.

De quem será a culpa?

Estes são os resultados do relatório Portugal, Balanço Social 2020 – Um retrato do país e dos efeitos da pandemia, publicado em março de 2021 pela Nova School of Business & Economics (antiga Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa).

O relatório, de livre acesso, mostra que num inquérito às condições de vida da população, e considerado como um relatório de referência, mostra precisamente que sem estes apoios Portugal estaria muito pior.

“Em 2019, o limiar de pobreza em Portugal era de 6.014 euros por ano, mais 1.045 euros do que em 2008, de acordo com os dados do Inquérito às Condições de Vida e Rendimento (ICOR) de 2019. Com base neste valor, é possível calcular a taxa de risco de pobreza (depois de transferências sociais) e de pobreza extrema, que eram, em 2019, de 17,2% e 10,4%, respetivamente”, informa-se no sumário executivo do relatório, citado pelo Polígrafo.

Pode ainda ler-se que “as transferências sociais são importantes instrumentos para reduzir a pobreza. Em 2019, a proporção de pessoas em situação de pobreza, antes de transferências sociais, era de 43,4%”.

Deixe um comentário